Isca!

Convocatórias

Mulheres galegas em luita polos nossos direitos!

 

Chega um novo Dia Internacional das Mulheres e desta volta, ademais do nosso submetimento histórico, como feministas conscientes e rebeldes temos que continuar a denunciar a precariedade na que sempre nos obrigou a viver o sistema capitalista, as medidas anti-sociais dos governos estatal e autonómico e o seu impacto nas mulheres.

Medidas regressivas como a Reforma Laboral ou das Pensons estám a afetar toda a classe trabalhadora, mas somos as mulheres as que estamos a sofrer umha taxa mais elevada de desemprego, as que acumulamos a maior parte dos contratos a tempo parcial, as que temos uns salários mais baixos e as que nos responsabilizamos em maior medida das cargas familiares. Os governos, com a implantaçom das políticas de austeridade dirigidas especialmente cara os recortes em serviços públicos, estám a transferir as suas obrigas de proteçom social às familias, e especialmente às mulheres, o que supom passos atrás nos avances que fóramos conquistando e contribui a acrescentar a nossa precaridade e a fomentar a dependência.

Mais nom é apenas um problema de diminuiçom das políticas sociais, mas tambén o aumento de toda unha serié de políticas e discursos em contra das nossas liberdades sexuais e reprodutivas. Assim, feitos gravíssimos como a eliminaçom de organismos da importáncia do Serviço Galego de Igualdade, o desmantelamento dos Centros de orientaçom afetivo-sexual ou as travas para aceder a métodos anticonceptivos virom-se acompanhadas por unha retrógrada reforma da Lei do Aborto e a imposiçom dunha Lei de familia baseada na familia heterosexual tradicional e que pretende relegar a mulher ao rol tradicional de cuidadora que procura, sob a desculpa da protecçom a família, que as moças nom podamos fazer uso do nosso direito a decidir livre e informadamente sobre a maternidade. Este tipo de legislaçons só reforçam os piares do patriarcado e só cabe combaté-las, pois nom imos permitir que nos roubem os direitos que as feministas ao longo da história fôrom conseguindo por meio da luita e o ativismo.

Temos a certeza de que a justiça social só se acadará combatendo permanentemente contra o sistema patriarcal e com a luita diária na construçom dumha alternativa socialista a este sistema. Saudamos a todas as mulheres que na Galiza estám luitando polos seus direitos nas ruas, nas organizaçons políticas, sociais ou nos sindicatos. Comprometemos-nos a seguir fortalecendo a mobilizaçom social e o protagonismo que as mulheres devem ter na construçom de um país igualitário, justo e solidário, livre de dominaçons e exclusons.

Contra a precariedade à que nos submete o sistema capitalista e o Estado Espanhol, as moças nacionalistas reagimos contra as suas agressons e trabalhamos desde o feminismo por un futuro alternativo!

Mulheres galegas em luita polos nossos direitos!

Diante disso, moças involucradas em diferentes associaçons, organizaçons ou plataformas, pulamos novamente por umha manifestaçom nacional unitária que, junto a outras convocatórias locais e comarcais de diversos coletivos feministas, impida a banalizaçom desta data e contribua a tecer pontos de encontro entre quem partilhamos luitas comuns contra un sistema capitalista e patriarcal que nos agrede permanentemente.

Desde Isca! animamos a toda a mocidade galega a participar na manifestaçom nacional do vindeiro sábado 9 de março que sairá ás 12:30 da estación de trens de Compostela, súmate!

Contra o capitalismo e o patriarcado, Feminismo sem tregua!


Descarga o manifesto

Difunde!